O que significa Endêmica?

Que nasceu ou está restrito a certa região; diz-se da população, espécie arbórea ou outros organismos.

Pau-Brasil (nome científico Paubrasilia echinata)

Ocorre do Ceará ao Rio de Janeiro na floresta pluvial atlântica, sendo particularmente frequente no Sul da Bahia. Floresce a partir do final de setembro, prolongando-se até meados de outubro. A maturação dos frutos ocorre de novembro a janeiro. Planta semidecídua, heliófita ou esciófita, característica da floresta pluvial atlântica. Ocorre preferencialmente em terrenos secos e inexistentes na cordilheira marítima. É planta típica do interior da floresta primaria densa, sendo rara nas formações secundárias. A madeira atualmente é empregada somente para confecção de arcos de violino. Outrora foi muito utilizada na construção civil e naval e em trabalhos de torno. Entretanto, seu principal valor reside na produção de um princípio colorante denominado “brasileína”, extraído do lenho e muito usado para tingir tecidos e fabricar tinta de escrever. A sua exploração intensa gerou muita riqueza ao reino português e caracterizou um período econômico de nossa história, estimulando a adoção do nome Brasil ao nosso país e a nomeação de “árvore símbolo do Brasil”.

Pau-Brasil

Pau-de-ferro (Nome científico Caesalpinia férrea var. Leiostachya benth).

Floresce a partir de meados de novembro até fevereiro. Os frutos amadurecem durante o mês de julho até o final de setembro. Ocorre do Piauí até São Paulo na floresta pluvial da encosta atlântica. Planta semidecídua, heliófita, seletiva higrófita, característica da mata pluvial da encosta atlântica. Ocorre preferencialmente em várzeas e fundo de vales onde o solo é fresco e úmido, tanto no interior da mata primária densa como em formações abertas e secundárias. Apresenta dispersão irregular e descontínua, porém quase sempre em baixa densidade populacional.A madeira é empregada na construção civil, como vigas, esteios, caibros, estacas, etc. A árvore é útil para o paisagismo em geral, apresentando ótimas características ornamentais e proporcionando boa sombra. Entretanto, devido a facilidade com que seus ramos são quebrados pelo vento, o plantio dessa espécie deve ser evitado em áreas de grande circulação. Como planta tolerante ao plantio em áreas abertas e de rápido crescimento, é interessante para plantios mistos destinados à recomposição de áreas degradadas.

Pau-de-ferro (fonte: https://www.soflor.com.br/produto/pau-ferro-caesalpinia-ferrea-sementes)

Oiti (nome científico Licania Tomentosa)

Ocorre no Ceará, Pernambuco, Alagoas e Sergipe até o norte do Espírito Santo e Vale do Rio Doce em Minas Gerais, na floresta pluvial atlântica. Floresce durante os meses de junho a agosto. Os frutos amadurecem em janeiro a março. Planta perenifólia, heliófita, característica da mata pluvial atlântica. Ocorre tanto no interior da floresta primária densa como em formações abertas e secundárias. Apresenta distribuição irregular e descontínua ao longo de sua área de dispersão. Produz anualmente grande quantidade de sementes viáveis. A madeira é própria para construção civil, obras externas, como estacas, postes, dormentes, para obras hidráulicas, construção de embarcações, quilhas de navios, etc. A árvore fornece ótima sombra, sendo por isso preferida para plantios em praças, jardins, ruas e avenidas, principalmente nas cidades do norte do país e de regiões litorâneas. Produz grande quantidade de frutos muito procurados pela fauna em geral. É ótimo para plantios mistos em áreas degradadas.

Oiti

Grumixama (nome científico Eugenia brasiliensis)

Ocorre no Sul da Bahia até Santa Catarina na mata pluvial atlântica. Floresce a partir do final do mês de setembro, prolongando-se até novembro. Os frutos amadurecem em novembro à dezembro. Planta perenifólia, heliófita e seletiva higrófita, característica exclusiva da Mata pluvial atlântica, onde é bastante rara. Ocorre em associações primárias de planícies aluviais e encostas suaves. A regeneração natural é bastante limitada. A madeira é própria para obra de torno, marcenaria comum, carpintaria, para forros e caixotaria. A árvore possui ótimas características para o paisagismo, principalmente pelo seu pequeno porte e forma estreita da copa. É particularmente recomendada para arborização de ruas estreitas e sob rede elétricas. Seu único inconveniente é a sujeira causada pela queda dos frutos. É bastante cultivada para a produção de frutos, que são saborosos e consumidos principalmente ao natural. Existem variedades de frutos amarelos e pretos. Os frutos são também avidamente procurados por pássaros, o que a torna componente indispensável nos reflorestamentos heterogêneos destinados à preservação.

Palmito-jussara (nome científico Euterpe edulis)

Habitat do Sul da Bahia e Minas Gerais até o Rio Grande do Sul na Mata Atlântica e em Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná nas matas ciliares da bacia do rio Paraná. Ocorre também na Argentina e Paraguai. Seu principal produto é o famoso “palmito”, muito consumido in natural ou em conserva, fato que tem causado o quase desaparecimento da espécie em algumas áreas, pelo sacrifício da planta, sendo assim uma planta que está quase em extinção. O estipe é empregado localmente em construções rurais. A planta, de grande beleza arquitetural, pode ser cultivada com fins paisagísticos, o que já vem sendo feito no Sul do país.

Palmito Jussara (fonte: http://www.odairplantas.com.br/muda/195/palmito-jussara)

Facebook
YouTube
Instagram